24.02.2015

Miami: Um sonho brasileiro

A cidade atrai cada vez mais brasileiros que vão morar ou passar férias

Miami é uma cidade do mundo. Tendo espanhol como segunda língua não-oficial, reúne latino-americanos, europeus, canadenses, russos e é claro, muitos brasileiros, que são cada vez mais bem-vindos. O motivo? São recordistas de compra de imóveis na Flórida.

Os quase 360 dias de sol, o planejamento urbano e a educação fazem de Miami mais do que um destino de compras e férias. Há cada vez mais pessoas querendo fixar residência por lá. “Os motivos são muitos. Não tem trânsito, a cidade é acessível; tem como sair do trabalho e almoçar em casa, por exemplo. As escolas, mesmo públicas, são todas das 8h às 15h. Você consegue planejar seu dia” destaca Beatriz Nahuz.

 

Diferença Cultural

Beatriz Nahuz e sua sócia Cláudia Murad são apenas duas brasileiras que trocaram o Brasil por Miami há mais de 10 anos e não voltam atrás. Pelo contrário, a frente do serviço de concierge Unique Living Miami, ajudam brasileiros que queiram comprar imóveis no país como investimento, como casa de férias ou como moradia fixa. Do imóvel à escola das crianças, o serviço oferece uma assessoria completa e em português claro.

A diferença cultural é algo a ser levado em conta na hora de mudar de país. Algumas diferenças são mais difíceis de acostumar “Eles são bem rigorosos com prazos, não tem como dar ‘uma esticadinha’, um jeitinho”, diz Cláudia. Outras diferenças culturais são muito positivas “No Brasil as executivas tem receio de parar a carreira para ter filhos, com medo de perder o local. As mães nos EUA param por até 2 anos e são bem recebidas quando voltam” comenta Beatriz.

Sonhador x Investidor

O expatriado brasileiro tem um desses dois perfis: sonhador ou investidor. Enquanto o primeiro faz as malas em busca de um sonho feliz de cidade e parte muitas vezes sem ter nem mesmo visto ou um trabalho, o outro já sai com tudo planejado para trabalhar por uma empresa ou para fazer seu patrimônio ser valorizado. A vida do primeiro grupo de pessoas, segundo Cláudia Murad não é fácil “É complicado para arrumar trabalho, licença para dirigir, hospital. Quem entra ilegal não consegue cidadania ou visto”, exemplifica.

A realidade para executivos expatriados e investidores é outra. As políticas para emissão de vistos estão mais flexíveis e a concessão de cidadania facilitada para quem quer investir no país. E são muitos. Cerca de 10% dos imóveis de Miami pertencem a brasileiros. A classe média alta já entendeu: trata-se de um dos investimentos mais seguros do mundo, com excelente liquidez e retorno – e em dólar.

Além desses fatores, segundo as leis norte-americanas, quem aplica 500 mil dólares em um novo negócio, gerando ao menos 10 empregos ou investe a partir de U$1 milhão no país é forte candidato a um visto permanente, válido para cônjuge e filhos de até 21 anos.

Para Claudia Murad, sócia da Unique Living Miami, a hora para os brasileiros em Miami é a agora. “Os imóveis nos EUA ainda estão com preços baixos, mas a economia se recupera rapidamente, o que significará alta nos preços dos imóveis em breve”, adverte.

Além dos imóveis, há quem vá investir em tecnologia,  lojas de roupas, restaurantes, etc. Como tudo na cidade é muito planejado, o crescimento também é. É preciso que haja uma proporção entre casas e estabelecimentos comerciais em cada bairro, criando assim uma cidade organizada com distribuição igualitária de emprego, lazer e moradia.

 

Lifestyle e vida social

Com tudo perto e acessível, fica mais fácil encontrar os amigos e fazer programas mesmo em dias de semana “As pessoas solteiras tem muito esse lifestyle de academia, de happy hour. Nós casadas saímos bastante pra jantar. Combinamos de ir na praia juntos, é verão o ano inteiro”, diz Beatriz Nahuz.

Outra coisa peculiar na vida na Flórida é o “clube dos brasileiros” que acaba se formando. “Nossos pais estão no Brasil, então as pessoas se ajudam mesmo.  A gente acaba fazendo uma rede de apoio, como uma família. Eu me senti muito acolhida nesse ponto”, completa.

A ideia das sócias foi oferecer uma pouco dessa “acolhida” aos brasileiros que estão se mudando ou pretendem se mudar. Desde a escolha do bairro até a procura por uma escola para os filhos,  o serviço Unique Living atende o público brasileiro em peso (95% dos clientes). Com escritórios em São Paulo e em Miami, oferecem mais do que um atendimento em português, mas uma adaptação de culturas.

Mais informações: www.uniquelivingmiami.com