A Maersk estima que as importações e exportações no Brasil vão crescer, respectivamente, 14% e 1,5% em 2017. De acordo com balanço da empresa no terceiro trimestre, os números representam alta conjunta de 7% no ano. A empresa destaca que o comércio exterior brasileiro cresceu 10,2% no trimestre e avalia que o país se recupera mais rápido do que o esperado para esse fim de ano. A expectativa da companhia é que este Natal será o melhor desde o início da crise em 2015.

Segundo o relatório, os varejistas estão otimistas com aumento do consumo, depois de quatro trimestres de crescimento consistente de dois dígitos nas importações, com o terceiro trimestre registrando alta de 14,3%, ante 16,8% no segundo trimestre. As importações para Manaus (AM), principalmente produtos eletrônicos para consumidores das regiões Sul e Sudeste, saltaram 35% no terceiro trimestre em relação ao mesmo período de 2016.

A empresa destaca que os varejistas estão aumentando seus estoques antes do Natal e lembra que no ano passado os varejistas apenas mantinham os seus inventários. A Maersk ressalta que esse crescimento é sazonal e que o volume total de importação e exportação para o terceiro trimestre ainda está 9% abaixo dos volumes do mesmo período em 2014, ano anterior ao começo da crise. A Maersk entende que ainda existe um caminho a ser percorrido até que o comércio marítimo se recupere totalmente.

O diretor comercial da Maersk Line para a costa leste da América do Sul, Nestor Amador, contou ainda que a Maersk passou a disponibilizar mais contêineres refrigerados e lançou sistema de gerenciamento remoto de contêineres que possibilita rastrear e acompanhar seus produtos durante toda a viagem. “O forte crescimento do mercado de exportações está colocando muita pressão nas companhias de transporte marítimo, o que fez a Maersk mudar sua forma de atender os clientes do mercado reefer no Nordeste do Brasil, por exemplo”, disse.

Recentemente, a Maersk Line anunciou mudança no seu serviço entre Nordeste e Europa durante a época de colheita. Pela primeira vez, a empresa estabeleceu um serviço direto entre a APM Terminals Pecém, no Ceará, e portos na Espanha, Holanda e Reino Unido. A companhia está trazendo quatro navios com capacidade de 1.800 TEUs, cada um com capacidade de carregar 400 contêineres refrigerados.

As exportações de carne subiram 37% no terceiro trimestre, registrando recuperação após uma desaceleração nos três meses anteriores. No entanto, Argentina, Uruguai e Paraguai também estão aumentando as exportações de carne, disputando espaço com os produtores brasileiros. “As exportações estão começando a performar melhor, mas já há mais demanda do que o setor de transporte marítimo inteiro consegue suprir atualmente. Em relação à carne, haverá ainda mais pressão com outros países competindo para aumentar seu market share”, observou João Momesso, diretor de trade e marketing da Maersk Line para a costa leste da América do Sul.

Por Portos e Navios