Duas vacas pastam no feno (© AP Images)Pecuaristas de gado americanos enxergam oportunidades promissoras de mercado depois que o Brasil recentemente reabriu seu mercado para carne bovina fresca americana (© AP Images)

 

Espera-se a venda de cerca de US$ 7 milhões em produtos agrícolas americanos para o Brasil até 2018, na sequência da primeira missão comercial do Serviço Exterior de Agricultura dos EUA para o maior país da América do Sul. A recente expedição para o Brasil, que durou cinco dias, incluiu 22 representantes tanto de empresas americanas como de grupos de agricultores dos EUA. E todos se reuniram com homólogos nas cidades de Recife e São Paulo.

“O Brasil possui um importante potencial de mercado inexplorado para os exportadores dos EUA”, disse Mark Slupek, funcionário do Serviço Exterior de Agricultura do Departamento de Agricultura dos EUA. “A população do país em expansão e o aumento da renda per capita, juntamente com o fato de os consumidores brasileiros terem uma grande consideração pelos produtos e marcas dos EUA, fazem deste um mercado que vale a pena explorar para os exportadores americanos.”

O Brasil comprou cerca de US$ 1,4 bilhão em produtos agrícolas e similares dos EUA em 2016. As principais exportações americanas para o Brasil incluíram etanol, trigo, alimentos preparados e produtos lácteos.

Prestes a crescer: carne bovina fresca dos Estados Unidos. A primeira remessa feita por pecuaristas americanos* chegou em 2017 após um hiato de 14 anos. O Brasil proibiu que a carne bovina dos EUA entrasse no país em 2003, após a descoberta da doença da vaca louca (encefalopatia espongiforme bovina) em quatro vacas americanas. A Organização Mundial para a Saúde Animal classificou o risco dessa doença no gado americano como “insignificante” em 2013, o status mais alto disponível.

Os Estados Unidos, o maior produtor mundial de carne bovina do mundo, começaram a exportar carne bovina americana para a Chinanovamente em 2017.

Homem vestindo terno de negócios segura produto em supermercado (USDA)
Mark Slupek, do Serviço Exterior de Agricultura dos EUA, faz um tour por uma rede de mercado brasileira que vende produtos alimentícios dos EUA (USDA)

As missões comerciais oferecem às empresas oportunidades de aprender sobre os mercados locais e criar relacionamentos com potenciais clientes.

“Eu descobri que quando pessoas físicas e jurídicas querem começar a exportar para um determinado mercado, muitas vezes elas não sabem como e por onde começar”, disse Slupek. “É aqui que nós [no Serviço Exterior de Agricultura dos EUA] entramos a fim de ajudar a concluir o trabalho.”

Fonte: share america gov