Ohio recebeu 20 empresas brasileiras em 2017. Este ano a parceria continua para levar mais empresas para explorar a possibilidade de abrir negócios nos Estados Unidos em 2018.

Missões organizadas pelo Estado-líder em manufatura nos Estados Unidos, com o apoio da The Information Company, levam empresas brasileiras de diversos setores para explorar o mercado norte-americano, buscando independência da instabilidade econômica brasileira.

Durante as missões, brasileiros visitam potenciais clientes, parceiros e locais de instalação, e ainda recebem treinamento para obtenção de residência ou cidadania norte-americana. 

Custos da viagem, exceto a passagem aérea internacional, são cobertos pelo Estado de Ohio.

O Estado de Ohio, nos Estados Unidos, através da Dayton Development Coalition e da Rede -Cincinnati Regional Economic Development Initiative, continuará recebendo este ano mais missões de empresários brasileiros que desejam explorar o mercado norte-americano.

Como vem ocorrendo, as missões se destinarão a avaliar as oportunidades  para empresas desses diversos setores nas regiões de Dayton e Cincinnati, consideradas as principais locomotivas da indústria de manufatura nos Estados Unidos.

A exemplo das missões anteriores, os participantes visitarão potenciais parceiros, clientes e locais de instalação, ao mesmo tempo em que receberão treinamento para obtenção de residência e cidadania no país.

As empresas que participaram nas últimas missões, entre outras, foram a Akaer, Aethra, Globo Usinagem, Allot, Duofiber, Megacast, NovaTecnologia, Alux, Eurocontainers, Pitu, Luguez, TBM, WBCExpo, Aratell e RevestCar.

“Ficamos impressionados com as facilidades oferecidas pelo Estado e com as possibilidades de negócios”, diz Juliana Mota, da Alltec, um dos maiores fornecedores brasileiros de materiais compostos para aviação, que participou de missão em junho do ano passado.

Um dos brasileiros que atenderam ao chamado para a parceria, Luiz Catalani,  da Luguez, disse que encontrou em Ohio uma situação favorável: “Fomos recebidos por representantes do governo local, tivemos apoio de tributaristas, e percebemos que, ao contrário do Brasil, a facilidade para produção é muito grande –  enquanto o governo no Brasil dificulta a operação industrial, lá eles facilitam”.

Mitch Heaton, da Dayton Coalition, acredita que, “o parque aeronáutico brasileiro, po exemplo,  tem uma grande oportunidade para sua expansão internacional”. Segundo ele, é hora de explorar o mercado dos Estados Unidos, o maior do mundo, que vende US$ 605 bilhões de dólares anualmente e emprega 1,7 milhão de trabalhadores”.

Para Jahnna Reader, da Redi (Cincinnati), a região está a poucas horas de distânciade pelo menos 60% do mercado comprador nos Estados Unidos, abrigando também boa parte de toda a indústria automotiva norte-americana. Ohio também oferece financiamento a custos subsidiados, mão-de-obra especializada e a custo competitivo, assessoria na busca, compra ou aluguel de espaços industriaise, principalmente, apresentação à fornecedores da indústria aeronáutica.

O QUE OHIO OFERECE GRATUITAMENTE?

Rápida comercialização no mercado norte-americano.
Serviços de recolocação de negócios.
Assessoria de recursos humanos.
Assessoria para localização, compra ou aluguel de imóveis industriais.
Base de dados Programa de Aceleração de Negócios.
Networking regional.
Consultas para manufatura, melhoramento de processos e inovação.
Pesquisa & Desenvolvimento através de Universidades e empresas.
Oportunidades na cadeia de fornecimento através de parcerias com OEMs.
Acesso aos maiores tomadores de decisão de corporações e na área de defesa.

ABRA SEU NEGÓCIO NOS ESTADOS UNIDOS – 

Pouco conhecidas entre os brasileiros, tanto as regiões de Cincinnati e Dayton em Ohio são importantes referências no setor industrial norte-americano. Atualmente, ambas oferecem o menor custo de instalação de negócios nos Estados Unidos, segundo a KPMG, e estão entre as cinco mais competitivas cidades americanas nos setores aeroespacial, químico e plásticos, alimentos e bebidas, transporte, logística e metais.

“Já estamos recebendo ligações de várias empresas brasileiras, tanto do setor aeronáutico como também do setor automobilístico e de alimentos, que querem se instalar aqui”, diz Heaton, cuja organização também orienta clientes prospectivos para vistos de imigração nos Estados Unidos”, completa.

Recentemente, 16 empresas internacionais anunciaram mais de 20 grandes projetos no setor aeronáutica e de defesa do Estado investiram mais de US$ 108 milhões, com a criação de 860 novos empregos.

Sede da GE Aviation, General Dynamics e outras empresas líderes do setor, como aBoeing Repair Center e a United Technologies (UTC’s), Ohio também conta com a maior base aérea norte americana, a Wright Patterson, com 7.600 militares e 11,5 milcivis.

O Estado ainda conta com o Defense Supply Center, em Columbus, o Ohio AerospaceInstitute, e o Ohio Center for Advanced Propulsion and Power (OCAPP).

www.redicincinnati.comhttp://daytonregion.com/
https://development.ohio.gov/files/research/b1002.pdf
https://development.ohio.gov/files/research/B1006.pdf

MAIS INFORMAÇÕES

Pedro Augusto Leite Costa
pedro@theinformationcompany.net
1 2532189542
@pedroalcosta